“Na minha experiência de mãe do Mateus de 13 anos e da Manuela de 06 anos, esse questionamento já se fez presente por diversas vezes. Aliás, acredito que todos os anos, antes de cada aniversário, meu marido e eu nos questionamos: a festa é para quem?

Essa pergunta nos fez refletir que o primeiro aniversário é para os pais. É quase que uma “apresentação” do filho ou da filha para os amigos do casal e para a família. Uma celebração recheada de conquistas de saúde, alegrias e emoções do primeiro ano, onde a criança é só uma participante convidada, sem entender ao certo o motivo de tanto barulho.

Claro que o tempo passou e os pequenos vão curtindo cada vez mais as festinhas que os pais promovem. Nós já tivemos várias experiências nesse sentido: já comemoramos em casas de festas e já fizemos festinhas em casa.

Lembro que escolhemos comemorar os 06 anos do Mateus em uma casa de festas, pela apresentação teatral que havia no local. Era um misto de mundo mágico com diversão. Ele adorou! Mas, não só ele, todos os nossos convidados. Aliás, tinha mais convidados nossos do que amigos dele. E esse foi um ponto de muita reflexão: a festa, é para quem? O principal aprendizado daquela festa foi a certeza de que mais importante do que uma super decoração era o espaço do lúdico, do brincar e principalmente, a presença das pessoas que ela amava”.

Com esse depoimento real, convidamos você a pensar:  para quem é a festa? É para nossos filhos ou é para nós? Será que precisamos investir muito dinheiro para deixar nossos pequenos felizes e satisfeitos? O que de fato é mais importante em uma festa de criança?

Por se tratar de um tema relevante e tão especial, convidamos você a refletir sobre essas dicas que vão ajudar a verificar para quem é a festa e como você pode transformar essas datas tão significativas em momentos inesquecíveis:

  • Busque reconhecer seus valores pessoais e familiares.

Saiba o que agrada a você e os seus familiares e o que realmente importa para que se sintam realizados. Isso vai leva-los a uma decisão mais assertiva em relação ao tipo de festa que farão em comemoração aos aniversários infantis.

  • Tenha por hábito reunir a família para construir sonhos, metas e objetivos.

Esse exercício vale especialmente para os pais ou cuidadores financeiramente responsáveis. Mas pode e deve incluir crianças a partir dos 4 anos de idade. Saber o que querem realizar ajudará inclusive a decidir questões como valores financeiros e tamanho do evento.

  • Faça orçamentos.

Tenha um plano A, um B e também um C. Inclua no orçamento detalhes como fotos, presentes, decoração. Orce com fornecedores diferentes, conheça novos serviços.

  • Crie o hábito de organizar suas finanças.

Institua valores mensais de reserva para os aniversários, cuidando para que os valores mínimos sejam reservados, assim, quando chegar a data festiva, vocês não terão que sacrificar o orçamento familiar, consequentemente poderão aproveitar tudo!

  • Fale sobre finanças em casa.

Não só sobre finanças, fale sobre valores, sobre sonhos e metas. Traga esses assuntos para o dia a dia da família, assim, em tempos de decisão, todos estarão muito conscientes do porque irão seguir um plano…ou outro!

Se a festa é para os pais ou para as crianças, o que importa é que a decisão respeite a família!

Que comece a festa!

Com carinho, Paula e Marlise!

 

Deixe uma resposta