Gustavo Cerbasi, consultor e especialista do comportamento financeiro no Brasil, afirma que inteligência financeira está diretamente relacionada ao autoconhecimento, seja pessoal e/ou familiar. Aqui começa a primeira questão: nos conhecemos o suficiente para desenvolver inteligência financeira e ajudar nossos filhos com assuntos relacionados à dinheiro?

O autoconhecimento é libertador. É como se soubéssemos exatamente quais são nossas raízes e onde elas estão plantadas. Quando pensamos em constituir uma família, nem sempre está claro inicialmente qual a raíz que sustentará a relação familiar. Cada um dos cônjuges vem de uma experiência de vida, trazendo como semente valores individuais e únicos. Agora, juntos em um novo lar, precisam plantar seus valores individuais para torná-los também valores familiares, identificando exatamente o que querem deixar para seus filhos.

Para desenvolver a inteligência financeira nos nossos filhos, ousamos afirmar que é preciso  conhecer a essência da família, ou os valores familiares, como chamamos. Essas “raízes” vão determinar o que é realmente importante para a família, ajudando nas escolhas e nas decisões de todos os seus membros. Por exemplo, se para uma família a raíz “segurança” é muito importante, esta família certamente terá uma reserva financeira para imprevistos. Se os filhos sabem desta relação, entenderão também porque motivo os pais optam por reservar parte da renda para o futuro ao invés de gastá-lo no presente.

Que tal descobrir conosco estes valores enraizados na sua vida familiar, que podem ser passados desde cedo para seu filho?

Pensando nisso e para que seja possível ter um presente saudável, financeiramente falando e também um futuro realmente próspero e sustentável, queremos convidar você e sua família a fazerem um agradável exercício para descobrirem os valores familiares que já existem na vida de vocês:

  • 1º. Temos sonhos? 

Compartilhem seus sonhos. Falem para os filhos sobre seus sonhos e suas vontades e ouça os sonhos dos pequenos. Perceba o que está por trás de cada sonho, de cada desejo. Certamente será um valor a ser descoberto.

  • 2o. Por que eles são importantes? 

Coloquem em um papel palavras que representam valores e que vocês consideram importantes. A brincadeira é de que cada pessoa da família deve listar pelo menos 05 palavras (respeitando a idade das crianças, claro). Como sugestão, as palavras podem ser recortadas de revistas, para ficar mais divertido. Conversem sobre cada item. Exemplo: Amor, Fé, Liberdade, Segurança, etc…

Da listagem geral, selecionam o que tem em comum e construam uma lista com os 6 valores principais da família. Esses valores serão a base de referência para os próximos passos.

  • 3o. Quais são os objetivos prioritários?

Volte a falar dos sonhos e objetivos e então, faça uma lista de pelo menos 5 objetivos de cada um dos membros da família. Converse sobre os objetivos.

Agora precifique cada objetivo (cada um deverá pesquisar quanto custa realizar cada objetivo).

  • 4o. Levantamento de recursos financeiros.

Analise as fontes de renda atual, individuais e/ou familiares.

Verifique se é possível e/ou necessário separar alguns pontos para criar metas individuais e metas familiares em comum.

Novamente avalie o que é importante e de notas de 0 a 100 para o grau de importância para cada membro da família.

Defina os passos para criar/levantar os recursos (financeiros) para cada um, pela ordem estabelecida no passo anterior.

Verifiquem se é possível fazer alguma renda extra para ajudar na realização.

Planejamento de curto/médio prazo.

Coloque os 3 primeiros objetivos no papel e detalhe os primeiros passos que cada um deverá fazer para viabilizar essa realização,consolidando os passos anteriores. Exemplo: orçamentos, de onde virá o valor para pagamento do sonho/objetivo.

Coloque datas para cada passo e o indicador que demonstrará que o objetivo foi cumprido.

Definam tarefas intermediárias para indicar a jornada.

Conhecendo as raízes financeiras e tomando decisões conjuntas, se houver algum imprevisto, todos irão colaborar para a readequação do plano, já que foi construído por todos.

Para fechar, nossa dica é: experimente fazer diferente! As mesmas atitudes levam aos mesmos resultados. Que tal mudar a semente e colher prosperidade? Muito mais do que uma herança financeira, você vai contribuir para uma jornada de consciência e prosperidade financeira para seus filhos e consequentemente construir um mundo melhor.

Deixe uma resposta