Todos os dias ouvimos coisas a respeito de saúde, qualidade de vida, que é importante praticar esportes, se alimentar e dormir bem….. mas na prática, o que é qualidade de vida?

Depois de muito pesquisar, cheguei à conclusão que a definição de qualidade de vida é individual e subjetiva. 

Cada pessoa tem o seu conceito do que é ter qualidade de vida. Para alguns é poder viajar, para outros é poder ter tempo livre, para outros ainda é praticar exercícios diariamente.

Em alguns pontos, no entanto, todos concordam: qualidade de vida passa por ter uma boa alimentação, praticar exercícios e ter hábitos saudáveis de vida.

Muitos hábitos devem começar na infância. E nós, como  mães e pais, somos os responsáveis por introduzi-los na vida de nossos filhos. Antes de querer que nossos filhos mudem, é necessário que nós estejamos convencidos do que é ter uma vida saudável. Pois de nada adianta impor atitudes aos baixinhos, se nós não fazemos o mesmo.

O exemplo vivido, é mais forte do que o exemplo falado.

Se você fala para o seu filho que o cigarro faz mal à saúde, mas vive carregando um cigarro entre os dedos, há muito mais chances do seu filho ser fumante do que não fumar.

Então, para que possamos passar aos nossos filhos valores de uma vida saudável, é fundamental que nós também procuremos ter uma vida saudável.

O corpo das crianças está em formação, e o seu desenvolvimento é muito rápido. Para se ter uma ideia da importância dos primeiros anos na vida dos filhos, vou passar algumas informações médicas:

Os bebês nascem em média com 3,5 Kg e 50 cm de comprimento.

Ao final do primeiro ano de vida, estão em média com 10 Kg e 75 cm, ou seja, triplicaram (3x) o peso inicial e cresceram 50% desde o nascimento. É muita coisa!

O peso médio do cérebro de um recém nascido é de 350 gramas e ao final do 1º ano de vida pesa 1Kg, ou seja, também triplica. O cérebro de um adulto pesa 1,4 Kg. Resumindo: aumenta 700g em 1 ano e 400 g o resto da vida. Nessa fase se formam as conexões neurais e o cérebro adquire “musculatura”. Percebe o que digo?

Isso explica a importância da alimentação das grávidas e no 1º ano de vida. Estamos levantando os alicerces da construção do corpo de nossos filhotes. O que nós fizermos nos anos iniciais, terá reflexos profundos na vida adulta deles. É claro que se pode mudar o rumo das coisas a qualquer momento, e quanto  mais cedo melhor. O importante é mudar!  

Achei esse gráfico abaixo do Ministério da Saúde para gerar reflexão:

Qualidade de vida começa na infancia

Todas as atividades listadas acima passam pela ação conjunta dos pais. Se não promovermos cada um desses pontos, nossos filhos não saberão fazer sozinhos.  E muitas doenças dos adultos como obesidade, hipertensão e diabetes (pra citar apenas as mais comuns) podem ser evitadas se as crianças forem bem conduzidas na infância. Criança saudável, adulto saudável.

Sei que nossos filhos têm personalidades e gostos próprios e em alguns momentos é importante respeitá-los. Em outros momentos, no entanto, é crucial que formemos novos hábitos, influenciando a escolha de certos alimentos, motivando para as brincadeiras e os exercícios, evitando a paralisia em frente às telinhas e telonas, criando experiências marcantes que tragam bom humor, bem estar e felicidade. Afinal, somos maiores, mais fortes e temos a autoridade de pai e mãe. Devemos exercê-los com amor e paciência.

Você pode estar pensando: “ah, mas não é fácil!”.

Não, não é fácil. Não é nada fácil. Mas é possível! E como pais conscientes desse amadurecimento, da formação física do corpo e do cérebro, dos desafios que nossos filhos irão enfrentar no futuro, temos a obrigação de estar atentos, oferecendo opções que contribuam com a qualidade de vida e felicidade deles!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comentários *